segunda-feira, 24 de novembro de 2008

E agora para ouvir




http://www.mikerelm.com/

MIKE RELM de San Francisco, é conhecido pelos desempenhos ao vivo caracterizados por uma série de áudio mash-ups com imagens vídeo manipulados em tempo real.

©PetehuntToons
Até que o gato mie!

Santa Luzia


Não vi.
Não estive.
Não sei.
Não foi comigo.
Não faço ideia.
Não era minha responsabilidade!???



©PetehuntToons
Até que o gato mie!

domingo, 23 de novembro de 2008

Simulacro de sismo

O comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), Gil Martins, disse hoje que o simulacro de sismo permitiu detectar algumas "fragilidades", como falhas de comunicação e de gestão de informação.

"Nos últimos três dias apreendemos e foram detectadas algumas insuficiências", afirmou Gil Martins na conferência de imprensa de balanço do simulacro de sismo que decorreu desde sexta-feira até hoje nos distritos de Santarém, Lisboa e Setúbal.

O responsável admitiu que foram "encontradas fragilidades". Falhas de comunicação e de gestão de informação foram algumas das "insuficiências" avançadas por Gil Martins, que apontou ainda, sem pormenorizar, lacunas no empenhamento de algumas entidades nos teatros de operação.

No entanto, salientou que "o exercício não foi feito para correr bem, mas sim para detectar as falhas e fragilidades".

Gil Martins acrescentou que "a aposta da Autoridade Nacional de Protecção Civil foi ganha com o finalizar do exercício", tendo marcado "um passo decisivo na aprendizagem" das autoridades envolvidas no simulacro.

"Se houvesse um sismo amanhã estaríamos melhor preparados do que no dia de ontem", realçou, adiantando que o simulacro teve como objectivo fundamental "localizar e eliminar estrangulamentos antes que um sismo real ocorra".

O exercício teve também como finalidade testar e introduzir alterações no Plano Especial de Emergência de Risco Sísmico para a Área Metropolitana de Lisboa (PEERS-AML), que deverá ser aprovado pelo Governo até ao final de Março.

De acordo com o comandante operacional nacional da ANPC, todas as entidades envolvidas vão reunir-se ao longo desta semana para elaborarem um relatório, além de se realizarem reuniões finais para revalidar o PEERS-AML.

Baseado no sismo histórico de 1909 em Benavente, o "terramoto", com uma magnitude de 6.6/6.7, "abalou" os distritos de Lisboa, Santarém e Setúbal às 15:50 de sexta-feira e gerou elevados danos materiais e humanos nos distritos de Lisboa, Santarém e Setúbal.

No final do exercício, o sismo fictício provocou 281 mortos, 895 feridos e 808 desaparecidos em 16 cenários que envolveram 2.835 operacionais, 854 veículos e 1.798 figurantes.

Lisboa, Vila Franca de Xira, Benavente, Seixal, Samora Correia, Porto Alto, centro histórico de Almada, Sintra e Barreiro foram as localidades onde decorreu o simulacro de sismo, que teve como cenários edifícios em colapso e soterrados, deslizamento de terras, vias de acesso bloqueadas e incêndios urbanos e florestais.

No exercício estiveram envolvidas 68 entidades, desde Bombeiros, PSP, GNR, Forças Armadas, Aviação Civil, INEM, Cruz Vermelha Portuguesa, Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, Polícia Judiciária, autarquias locais e Ministério Público.


©PetehuntToons
Até que o gato mie!

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

E agora para descontrair




©PetehuntToons
Até que o gato mie!

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!!

Sócrates entregou Magalhães só para a fotografia

Por Margarida Davim
José Sócrates esteve na Escola do Freixo, em Ponte de Lima, a entregar computadores aos alunos do 1.º ciclo. Mas, depois de o primeiro-ministro ir embora, as crianças tiveram de devolver os Magalhães

A Escola do Freixo, em Ponte de Lima, foi o palco escolhido por José Sócrates, na passada quarta-feira, para mais uma acção de promoção dos computadores da JP Sá Couto para o 1.º ciclo. Sócrates chamou os jornalistas e distribuiu os Magalhães pelas crianças. Mas, terminada a cerimónia oficial, os portáteis tiveram de ser devolvidos.

Contactado pelo SOL, o conselho executivo da Escola do Freixo explicou que as crianças não puderam ficar com os computadores, «porque há questões administrativas a tratar».

A mesma fonte – que não se quis identificar – assegura que os Magalhães «estão na escola», mas explica que isso não significa que os alunos do Freixo vão receber os portáteis mais depressa do que as crianças de outros estabelecimentos de ensino.

«Não sabemos quando é que os computadores vão ser distribuídos», admitiu, acrescentando que a entrega «depende da logística administrativa».

Antes da entrega real dos equipamentos, a escola vai ter de «preencher toda a papelada e os pais que não estiverem abrangidos pelo 1.º escalão da acção social escolar vão ter de fazer o pagamento do computador». Um processo que a escola admite desconhecer quanto tempo poderá demorar.

Fica também por esclarecer se os Magalhães que Sócrates já deixou na escola serão suficientes para todas as crianças. A Escola do Freixo tem 185 alunos inscritos no 1.º ciclo, mas o conselho executivo diz não saber quantos portáteis foram entregues na cerimónia que contou com a presença do primeiro-ministro. «Não sei quantos computadores cá ficaram», disse ao SOL um elemento do conselho executivo.

Ao que o SOL apurou, foi explicado a alguns alunos que os computadores tinham de ser devolvidos no final da visita de Sócrates por terem problemas nas baterias. No entanto, o conselho executivo da Escola do Freixo garante que «as crianças sabiam» que não iam ficar com os Magalhães naquele dia, porque lhes «foi explicado que era preciso realizar alguns procedimentos administrativos».

©PetehuntToons
Até que o gato mie!

domingo, 16 de novembro de 2008

Nova aplicação do Google Earth

Uma viagem tridimensional pela Roma Antiga

Ver em três dimensões todos os pormenores das ruas e monumentos da Roma Antiga já é possível. Basta fazer o download gratuito da nova aplicação em 3D do Google Earth.

Já se imaginou a fazer um passeio virtual pelas ruas da Roma Antiga? Agora já possível, com a nova aplicação 'Ancient Rome 3D' ('Roma Antiga em 3D'), do Google Earth. Desde o Coliseu ao Ludus Magnum, ao todo são 6700 edifícios em três dimensões, recriados a partir dos relatos sobre o ano de 320 antes de Cristo, no reinado do imperador Constantino.

A aplicação, cujo download é gratuito, fornece ainda informação detalhada sobre cada monumento elaborada por historiadores. O projecto foi possível graças à cooperação entre duas equipas de especialistas, uma da Universidade da Califórnia e outra do Instituto de Tecnologia Avançada para Humanidades, da Universidade de Virgínia.

"Esta conquista demonstra como a tecnologia pode ajudar a promover a cultura e a disseminar o conhecimento", lê-se num blogue da empresa Google. Além de ir ao encontro da curiosidade dos internautas em geral, a "Ancient Rome 3D" foi criada com o intuito de vir a ser uma importante ferramenta de pesquisa para estudantes de história.


©PetehuntToons
Até que o gato mie!

Santa Maria Manuela

Uma chamada de atenção para este blog:
http://santamariamanuela.blogspot.com/

A verdadeira chamada de atenção é mesmo para o magnífico navio bacalhoeiro português "irmão" do Creoula. Magníficos!

O meu bem haja a quem decidiu colocar mãos à obra a esta empreitada e recuperação/reconstrução do navio.

©PetehuntToons
Até que o gato mie!

Uma pausa...

Uma pausa se impunha dese 4ªfeira pois tentar seguir as "pisadas", i.é., os avanços, retrocessos e diz que dizem da Srª Ministra da Educação não é fácil...e ao mesmo tempo cumprir as directrizes que saem do seu gabinete de forma muito pronta e decidida...enfim! Não é fácil!

©PetehuntToons
Até que o gato mie!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Ministério da Educação recua e faz nova proposta aos sindicatos

A avaliação de desempenho só terá efeitos na colocação de professores daqui a quatro anos e não já a partir do próximo concurso, como o Ministério da Educação (ME) tinha anunciado, revelou hoje Jorge Pedreira.

Segundo o secretário de Estado Adjunto da Educação, a tutela vai apresentar ainda hoje aos sindicatos uma nova proposta sobre as regras dos concursos de professores, na qual a avaliação de desempenho deixa de constar entre os factores determinantes da graduação dos docentes.

"Ainda hoje faremos a entrega de uma nova proposta que representa uma aproximação à posição dos sindicatos. Vão ser incluídas disposições transitórias, em que a bonificação pela avaliação de desempenho apenas terá efeitos no concurso de 2013", afirmou Jorge Pedreira, em declarações aos jornalistas.

A anterior proposta do Governo previa que a graduação dos docentes para efeitos de colocação fosse determinada não apenas pelo tempo de serviço e pela nota de licenciatura - os elementos que até agora pesavam na sua ordenação -, mas também pela avaliação de desempenho, o que os sindicatos contestavam.

No final da comissão paritária de acompanhamento da avaliação de desempenho, que não chegou a realizar-se devido à não comparência das organizações sindicais, o governante adiantou ainda que a nova proposta terá outras alterações, nomeadamente no que diz respeito aos professores que pertencem aos quadros de uma região educativa (os chamados quadros de zona pedagógica) e não de uma única escola.

O anterior documento previa que estes docentes fossem obrigados a concorrer a mais do que uma região, podendo ser colocados em escolas muito afastadas da sua residência, o que agora só terá de acontecer caso não tenham vaga na sua zona.

Para o responsável, as alterações constantes desta nova proposta mostram que o ME continua "interessado e disponível" para trabalhar com os sindicatos, mesmo depois de estes terem "rompido o memorando de entendimento" sobre avaliação de desempenho, assinado em Abril, e suspenso a sua participação na comissão paritária de acompanhamento.

"Lamentavelmente, os sindicatos decidiram suspender a sua participação e não compareceram nesta reunião da comissão paritária, o que é extremamente grave e coloca em causa a sua credibilidade como parceiros negociais. Continuamos dispostos a trabalhar com eles, mas a confiança ficou muito fragilizada", afirmou.

Perante a não comparência das organizações sindicais na reunião, o secretário de Estado anunciou ainda que o funcionamento da comissão paritária de acompanhamento do processo de avaliação ficará suspenso, a partir de hoje.

"A comissão paritária fica suspensa porque não é possível mantê-la apenas com a presença dos membros da administração educativa. Se os sindicatos quiserem voltar, reactivaremos o seu funcionamento", adiantou


©PetehuntToons
Até que o gato mie!

Alegre arrasa política educativa dos socialistas

"Governar para as estatísticas não é reformar", defende o deputado socialista Manuel Alegre, alertando para o facto de "a falta de exigência da Escola Pública" pôr "em causa a igualdade de oportunidades".

O deputado socialista Manuel Alegre acusa o Ministério da Educação de "governar para as estatísticas", defendendo que "não se pode reformar a educação tapando os ouvidos aos protestos e às críticas", no editorial da revista "Ops!".

No segundo número da Revista de Opinião Socialista, "Ops!", que hoje é lançada, Manuel Alegre sublinha que "não é possível passar do laxismo anterior a um excesso de burocracia conjugada com facilitismo".

"Governar para as estatísticas não é reformar", defende, alertando para o facto de "a falta de exigência da Escola Pública" pôr "em causa a igualdade de oportunidades".

Sobre as declarações da ministra Maria de Lurdes Rodrigues sobre a manifestação dos professores que no sábado juntou milhares docentes em Lisboa, o ex-candidato presidencial considerou que a responsável teve uma "linguagem imprópria de um titular da pasta" e "incompatível com uma cultura democrática", ao avaliar a manifestação como uma forma de intimidação ou chantagem.

Admitindo que o ministério possa ter razão em alguns pontos, Manuel Alegre defende que "é preciso saber ouvir e dialogar": "É preciso perceber que, mesmo que se tenha uma parte de razão, não é possível ter a razão toda contra tudo e contra todos. Tal não é possível numa Democracia".

No editorial, o ex-candidato presidencial compara a mudança ocorrida nos Estados Unidos, com a eleição de Obama, à estagnação da situação em Portugal, em parte provocada pela formação das pessoas que está a ser afectada pelo "clima de tensão permanente entre o Ministério da Educação e os Professores", de "ambiente de incompreensão entre o Ministério da Ciência e Tecnologia e Ensino Superior e as universidades".

"Num país como o nosso, o que faz mudar é a formação das pessoas, a educação, a cultura, a comunicação, a produção e a divulgação científica, a inovação tecnológica e social", defende.

No número colocado hoje nas bancas escrevem diversos professores, investigadores, actores institucionais e deputados como Alberto Amaral, Elísio Estanque, Nuno David, Francisco Alegre Duarte, Almerindo Afonso, Jorge Martins, a ex-secretária de Estado da Educação Ana Benavente e Teresa Portugal.


©PetehuntToons
Até que o gato mie!

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Continua a luta...mesmo a sáerio...

A Escola C+S de Alfragide, arredores de Lisboa, foi hoje alvo de um boicote às aulas, tendo de manhã os portões sido fechados a cadeado, situação que a Polícia, entretanto, já desbloqueou.

A Polícia, chamada a intervir, rebentou com os cadeados cerca das 9h30 de hoje, mas as centenas de alunos continuam fora do recinto escolar. Antes, as forças policiais intervieram com alguma violência junto de alguns alunos das escolas que estavam concentrados junto aos portões do estabelecimento de ensino.

"Eles (polícias) empurraram-me e agarraram-me no pescoço", disse ao Expresso Carlos Sousa, de 17 anos, um dos estudantes agredidos pela Polícia.

Bruna Cruz, de 12, anos, foi outra estudante agredida. "Bateram-se com o cacetete nos pernas", disse a estudante, indignada com a intervenção policial.

O fecho dos portões estará relacionado com a manifestação de professores realizada sábado, como forma de protesto contra a política de educação idealizada pelo Governo. Ninguém reivindicou até agora a autoria do fecho da escola e a Polícia escusa-se a dar mais informações.

Cerca das 9h50, e já com os portões abertos, alguns alunos entraram no estabelecimento mas começaram depois novamente a sair, tendo um dos estudantes gritado para a portaria que tinham sido obrigados a entrar.

Alguns professores entraram na escola, mas a grande maioria continua fora do recinto. Fora do recinto permanecem dezenas de encarregados de educação.

Entretanto, uma criança ficou ferida na sequência de uma carga policial. A criança está em casa com as costas marcadas e em sangue, disse a mãe da estudante.

Irene C. afirma que a filha, depois de agredida, foi para casa, tendo a progenitora recebido um telefonema já no trabalho a dar conta da situação.

Em frente à escola C+S de Alfragide, Irene C. adiantou que aguarda pela chegada da filha para ir com ela à esquadra apresentar queixa. "Isto é uma vergonha. O que é que a Polícia faz de cassetete na mão contra uma criança de 10 anos?", questiona a mãe da criança ,visivelmente irritada.

Confrontada pela Lusa com a acusação, fonte da Polícia limitou-se a responder: "Terá de perguntar às crianças. Aqui não se resolve nada. Elas é que começaram com isto tudo".

Entretanto, são já menos os alunos que se encontram fora do recinto escolar onde também são poucos os professores, tendo a maioria deles entrado já para o estabelecimento de ensino.

Por outro lado, os que se mantêm fora da escola - cerca de uma centena - gritam palavras de ordem "Não há aulas" e afirmam que o protesto é contra o estatuto do aluno, contando com o apoio dos estudantes e da grande maioria dos professores.

Questionados sobre quem acorrentou os portões da escola a cadeado, todos afirmaram desconhecer quem o terá feito.

Ninguém tinha um gatito morto, não? para dar nos cacetetes?

©PetehuntToons
Até que o gato mie!

domingo, 9 de novembro de 2008

120 mil professores chumbam ministra

Em protesto contra o modelo de avaliação

E voltou-se a fazer história. Depois de em Março, 100.000 professores terem descido a Avenida da Liberdade, Lisboa foi hoje invadida por 120.000, garantem os sindicatos, naquela que será a maior manifestação de professores jamais realizada em Portugal.

Nos próximos dias a ministra da Educação, Maria de Lurdes Rodrigues, irá ao Parlamento explicar o que se passa com o processo de avaliação.

Em declarações aos jornalistas, esta tarde no Porto, a ministra reafirmou a intenção de prosseguir com o actual sistema de avaliação dos docentes. "Desistir não é uma solução, para isso não tenho disponibilidade", disse Maria de Lurdes Rodrigues, acrescentando: "O que me preocupa é que o processo de avaliação continue a concretizar-se para garantirmos ao país a qualidade de ensino que nos permita distinguir e premiar aqueles que são os melhores professores".

No braço de ferro com a ministra, os sindicatos não perdem tempo e já marcaram uma greve nacional para 19 de Janeiro.



©PetehuntToons
Até que o gato mie!

sábado, 8 de novembro de 2008

Prof's na rua contra a ministra




Da "indignação" à "exigência", milhares de professores preparam-se para invadir hoje Lisboa, a partir do Terreiro do Paço.

"Será um mar de gente superior aos 100 mil que se reuniram a 8 de Março na marcha pela indignação", garantia há dois dias Mário Nogueira, dirigente da Federação Nacional de Professores (FENPROF), uma das organizações da Plataforma Sindical que convocou o protesto.

Suspenda-se este modelo de avaliação" de desempenho imposto pelo ministério da Educação é a palavra de ordem.

A contestação a este modelo de avaliação tem crescido de tom e de número. Pelo menos centena e meia de agrupamentos ou de escolas já assinaram moções para que o processo seja suspenso. E "cerca de 10% das escolas estão paradas, assumidamente, porque adiaram para Janeiro o que o ministério queria que fizessem até Outubro", diz Mário Nogueira.

"A bola de neve já não pára, a minha única dúvida é se na bola de neve não vão também os membros desta equipa ministerial", ironiza o sindicalista. E acrescenta que se se repetir a marcha dos 100 mil professores (existem 140 mil docentes no total), não percebe "se daí não se tirarem consequências políticas". O que, na sua opinião "seria uma estratégia suicida do Governo" em vésperas de eleições.

Porém, aparentemente, os governantes da 5 de Outubro continuam a assobiar para o lado. "Há muitos protestos. Pois há. Se o juízo político fosse condicionado por protestos, nenhum Governo governaria", afirma o secretário de Estado da Educação.

Procurando sublinhar a ideia de que a opinião pública está com o Governo, Valter Lemos diz que "as medidas de política educativa são sufragadas pelos eleitores e não pelos professores" e defende que este sistema de avaliação "é mais justo, equitativo e e permite maior defesa dos professores".

O governante assume que estão "sempre atentos às manifestações", tal como estão atentos às moções, mas procura diminuir a sua importância. Diz que receberam "menos de 50 moções que trazem, sobretudo, equívocos de procedimentos" e garante que "as escolas estão a trabalhar normalmente" e que não há nenhuma que tenha parado.

Contudo, os casos sucedem-se. Por exemplo, no agrupamento de escolas Maria Alice Gouveia, em Coimbra, o Conselho Pedagógico declarou o processo suspenso.

Segundo o presidente do Conselho Executivo da escola-sede, João Gaspar, "já vão na quinta versão dos instrumentos de registo" porque vão percebendo que não dão resposta a todas as situações. E recorda que que "a avaliação simplificada aplicada aos contratados no final do ano passado correu mal".

Depois de ter cumprido os prazos "surgiram novos diplomas que deitaram tudo por água a baixo". Por isso, acha que "agora se deve esperar alguma seriedade, pausa e reflexão", porque "os professores querem ser avaliados, mas não com este modelo".

Entretanto, o Ministério da Educação e a Plataforma Sindical trocam acusações. Valter Lemos e a ministra Lurdes Rodrigues acusam os sindicatos de não cumprirem o Memorando de Entendimento (assinado em Abril), no qual acordavam, entre outras coisas, avançar com a avaliação e ajuizar o modelo no final do ano lectivo.

Por seu lado, Mário Nogueira defende que "ficou expresso no documento" a posição da Plataforma Sindical e que estão "disponíveis para antecipar" essa negociação. Contudo, a ministra mostra-se irredutível tendo afirmado ao Expresso que "antes de Julho não há nenhum processo negocial".

Com os movimentos cívicos não sindicalizados a criticarem a assinatura desse memorando e a bola de neve a surgir nas escolas apelando à suspensão do processo, a Plataforma Sindical, não teve outra solução que não reagir e apelar: "Suspenda-se".


Aaahhhh se todos levassem um gato morto...

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Dono de restaurante agredido por freiras

O dono de um restaurante italiano, de Câmpania, no sul do país, acusa um padre e duas freiras, cujas idades ultrapassam os 160 anos, de agressão.


Aniello Esposito, de 49 anos, pretendia regularizar o arrendamento do espaço onde funcionava o seu restaurante, no interior da Ordem das discípulas de Santa Teresa do Menino Jesus, em Rutino, na região da Campânia, no sul de Itália, mas acabou no hospital.

Esposito acusa duas irmãs da Ordem e um padre de o agredirem, tendo-lhe provocado contusões abdominais e no pescoço. Segundo Esposito, quando chegou ao local viu as duas freiras e o reitor do santuário a destruírem o restaurante.

"Tentei acalmar os ânimos, mas o padre bateu-me com uma cadeira, deitando-me ao chão. Depois, as freiras começaram a dar-me pontapés e a dizer palavras impronunciáveis", acusa Aniello.

A defesa dos três religiosos alega que o espaço estava a ser ocupado ilegalmente por Esposito e negam qualquer tipo de agressão. A madre superiora do convento, onde as duas freiras com 83 anos vivem, argumenta que as religiosas tinham começado a remover os móveis do espaço porque estava a ser ocupado, ilegalmente, por Esposito.

Aniello apresenta uma versão diferente, argumentando que tinha alugado o local de boa fé e que passava recibos. Mas acusa as duas freiras de quererem alugar o espaço sem ter de pagar impostos.

Tanto os religiosos como Aniello Esposito apresentaram queixa na Polícia.

Ora, então, como é que é? Ninguém precisa do gatito morto aqui? Está bem!


©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Experimentos interessantes

Dois pequenos aperitivos...
Depois vão ao sítio destes senhores:
UAU!!

http://eepybird.com/index.html








©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

Não é por eles... é por todos!!

Help save their planet!

Aproveitemos enquanto ainda conseguimos rir destas coisas!


http://www.animalssavetheplanet.com/

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

Cocktail de emoções em Chicago

Milhares de pessoas choraram e riram durante o comício da consagração, no Grant Central Park em Chicago. Às palavras de ordem ("Sim, nós podemos!") repetidas vezes sem conta por Barak Obama, a multidão respondeu com: "Sim, nós conseguimos!"


http://barackobama.com

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Haptica - relógio em braille

Esta é mais uma daquelas invenções geniais que nos fazem perguntar porque ninguém se lembrou delas há mais tempo. Haptica é o nome de um relógio de pulso concebido pelo designer americano David Chavez que tem a particularidade de possuir um mostrador em braille. A verdade é que existem já há bastante tempo no mercado relógios destinados a cegos e outros deficientes visuais mas que não passam no fundo de aparelhos convencionais onde é possível tactear os ponteiros de modo a saber as horas. Graças a um engenhoso sistema mecânico, o Haptica escreve as horas em caracteres braille no seu mostrador e, que se saiba, é o primeiro a fazê-lo.
A caixa do relógio apresenta dois rebordos laterais paralelos que formam um canal que conduz os dedos para a superfície de leitura. Esta superfície não é mais do que um conjunto de discos rotativos com incisões em código braille correspondentes aos algarismos das horas e minutos. No fundo é um sistema mecânico clássico em relojoaria e o mérito do designer foi o de ter a intuição de o adaptar a esta situação particular. A ideia de David Chavez foi muito justamente distinguida com um Spark Award (já agora vale a pena uma vista de olhos pelos restantes premiados aqui).

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

Algo para descontrair

Senhoras e Senhores...

Flight of the concords!!!!

http://www.myspace.com/conchords

Vejam os vídeos que vale bem a pena!!


The dead cat is shaking the skeleton...shanking...shaking...relaxing!

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

domingo, 2 de novembro de 2008

Inapto por junta médica... será?

Com 46 anos... Inapto por Junta Médica... Hein!... Diz-se ainda que com reforma de €35000 mensais (equivalente a cerca de 85 Salários Mínimos Nacionais ou menos porque o Engº vai aumentar o SM).. O nosso problema continua a ser a distribuição de riqueza... Tanto como 85 trabalhadores com família a seu cargo!!!!!
As notícias que dão conta da desumanidade das juntas médicas são manifestamente exageradas. Afinal há quem não se queixe das mesmas. Em carta enviada ao Público, Paulo Teixeira Pinto indica que passou 'à situação de reforma em função de relatório de junta médica'.
Certamente ainda mal refeito da forma como foi corrido do BCP e da Opus Dei, este banqueiro de 46 anos foi considerado inapto para o trabalho, apesar de já ter arranjado um cargo numa consultora financeira.

Paulo Teixeira Pinto nega ter recebido 10 milhões de euros de 'indemnização pela rescisão do contrato' com o BCP, garantindo que apenas recebeu a 'remuneração total referente ao exercício de 2007 - 9.732 milhões de euros em 'compensações' e 'remunerações variáveis'. Pessoalmente adoro a precisão dos números! São pessoas assim que fazem falta ao país...rigorosas nas contas!! Agora aposentaram o homem... assim não vamos lá!

Qualquer dia levo o gato à junta médica e depois peço os ordenados do ano correspondente... vamos ficar ricos!!!

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

Automóveis a diesel vencem híbridos

É uma autêntica surpresa, mas os números não enganam: em termos globais, os carros a diesel consomem menos energia e têm menos emissões de dióxido de carbono (CO2) que os híbridos (gasolina/motor eléctrico). E os híbridos estão apenas ligeiramente abaixo dos carros a gasolina nos dois indicadores.
A conclusão consta de um estudo do Departamento de Transportes, Energia e Ambiente do Instituto Superior Técnico (IST) sobre a avaliação energética e ambiental de veículos ligeiros em ciclo de vida total. Este ciclo inclui o fabrico, desmantelamento e reciclagem do automóvel; o consumo de energia na produção e distribuição do combustível desde o poço de petróleo até ao depósito; e o consumo de energia entre o depósito do automóvel, o motor e as rodas.

Tiago Farias, coordenador deste departamento único no país, que investiga em simultâneo a energia e o ambiente nos transportes portugueses, desmistifica de certo modo as conclusões inéditas do estudo: "O conceito de híbrido é excelente, porque a alteração do fluxo energético é a primeira revolução no automóvel em 100 anos, mas temos de reconhecer que o resultado prático actual não é brilhante".
A bateria que alimenta o motor eléctrico do híbrido é carregada quase sempre quando este circula no modo a gasolina. A excepção dá-se quando o sistema de recuperação de energia das travagens funciona, "mas a sua contribuição é muito modesta".
Em todo o caso, "o híbrido é um grande passo, é uma etapa de transição necessária para chegarmos ao carro eléctrico, ao chamado "plug-in"" (com tomada eléctrica para carregamento da bateria). Tiago Farias sublinha também que "a tecnologia híbrida está ainda numa fase de demonstração e só deixará esta fase quando o consumidor entrar num concessionário e puder escolher, em qualquer marca e modelo de automóvel comum, entre as opções gasolina, diesel ou híbrido, tal como hoje já acontece na Suécia com os carros a etanol".

A verdade é que, na cabeça da maioria dos automobilistas portugueses, havia a ideia de que os híbridos seriam a alternativa mais limpa e menos 'energívora' num planeta a braços com o aquecimento global e o desafio energético. Mas a realidade parece mais complexa.

Francisco Ferreira tem dúvidas em relação às conclusões do estudo do IST, argumentando que "as estimativas mais conhecidas quanto ao consumo de combustível dizem que os híbridos têm uma vantagem de 20% em relação aos carros a gasolina e andam a par nos carros a diesel". Em todo o caso, o dirigente da Quercus salienta que os números do IST "reforçam uma ideia consensual: os híbridos a diesel vão ter uma clara vantagem em relação aos modelos convencionais, quando forem lançados no mercado em 2010".
O líder ambientalista reconhece que "nos últimos anos todos os modelos convencionais têm reduzido as emissões de CO2 e mesmo o consumo de combustível". Mas recorda que as contas feitas pela Federação Europeia de Transportes e Ambiente (T&E) sobre o ciclo de vida dos automóveis híbridos concluem que, "ao fim de três anos de utilização, a uma média de 15 mil km percorridos por ano, o volume de emissões evitadas equivale a 40 mil km, comparando com um modelo convencional".

O estudo do IST analisou seis ciclos de velocidade mas destacou nas suas conclusões o ciclo Cascais-Lisboa. Ao todo, foram comparados os ciclos de vida total de automóveis de passageiros convencionais a diesel e a gasolina com híbridos, eléctricos e a hidrogénio, e ainda com automóveis convencionais flexifuel (a gasolina e etanol, ou a gasóleo e biodiesel). No conjunto, são 32 situações diferentes, que abrangem até carros que não estão à venda no mercado português (os que usam etanol) e outros que, mesmo no mercado mundial, só existem em pequenas séries (os eléctricos) ou em protótipo (os que consomem hidrogénio). Escolhemos as seis situações mais importantes, onde o vencedor no consumo de energia e nas emissões de CO2 é, sem dúvida, o carro eléctrico.

Nos carros do futuro, a alternativa a hidrogénio tem duas situações com um impacto muito diferente: o hidrogénio produzido através do gás natural, mais amigo do ambiente, e o obtido por electrólise (decomposição da água), que é, para já, um verdadeiro desastre ambiental.

HONDA CIVIC HYBRID. É o melhor classificado na categoria Classe Média do Top Ten da Quercus Preço: 21.920 euros (Comfort) e 26.780 euros (Executive) Comparação: BMW 318d, 320d e 318i m6; Mazda 6SW 1.8 e 2.0; Volvo S40 1.6D e VW Passat 1.9 TDI DPF Consumo: 4,6 litros por 100 km Emissões de CO2: 109 g/km

TOYOTA PRIUS 1.5 HYBRID.
É o melhor classificado na categoria Compactos do Top Ten da Quercus, produzido para o site da EDP Preço: 26.830 euros (29.704 euros na versão High Pack) Comparação: Ford Focus 1.6, Audi 3 1.9, VW Golf 1.9, Mazda 3 1.6, Honda Civic 1.4i, Seat Leon 1.9, Mercedes A160, Hyundai i30 1.6 e BMW 118d Consumo: 4,3 litros por 100 km Emissões de CO2 104 g/km

LEXUS GS 450h (hybridmotor). É o pior classificado na categoria Classe Média Superior do Top Ten da Quercus Preço: 68.876 euros (82.066 euros na versão High) Comparação: BMW 520d, 520i, 523i, 525i, 530i e 535d; e Volvo V70 D5, V70 2.0 D e S80 D5 Consumo: 7,9 litros por 100 km Emissões de CO2: 185 g/km

Vou começar a preparar o gato...


©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

Higiene feminina verde: a solução dos reutilizáveis

"Certos objetos, por serem inevitáveis aos seres humanos, acabam tendo uma evolução que acompanha as mudanças culturais da sociedade. É por conta disso que os tampões menstruais estão também se adaptando aos apelos ecológicos que rezam a reaproveitamento dos alimentos e objetos mais a diminuição do lixo não bio-degradável produzido por nós.
Atentas a essas novas demandas e a outras vantagens, muitas mulheres em todo mundo têm aderido aos tampões não absorventes, ou copos menstruais. Esses são pequenas tulipas feitas de látex ou silicone que, aplicadas ao interior da vagina, prometem conter o fluxo por, pelo menos, dez horas sem necessidade de troca.
O aparecimento dos copos menstruais ainda são um tanto misteriosos; a maioria credita wue a atriz americana Leona Chalmers, sem levantar maiores explicações, desenho da tulipa flexível, mas no seu livro “The intimate side of a womans life” a própria Leona credita ao francês L. H. Mallellieau a criação – embora com a advertência de que os primeiros copos produzidos eram feitos de um material duro, ao contrário do que ela patenteou no ano de 1937.
Os primeiros copos menstruais foram usados durante a Segunda Guerra Mundial, por sua praticidade e menor necessidade de troca. Com o fim do conflito, imaginava-se que fossem substituir os tampões dentro de pouco tempo, o que não aconteceu, e as poucas fábricas que o produziam foram à falência. Sua volta à lista de possibilidades se deu nos anos 80, quando as associações de saúde passaram a alertar sobre a possibilidade de infecções causadas pelo algodão dos tampões internos e, nos dias de hoje, as pequenas tulipas ganharam milhares de adeptas atentas ao impacto ambiental causado pelo descarte ininterrupto de absorventes e pensos de todos os formatos.
Ele pode até ter um aspecto tanto assustador, mas as usuárias do modelo relatam grandes vantagens para além dos benefícios verdes: atóxico, livre de polietileno, não absorve a umidade natural da vagina e dura mais de uma década (!), ou seja, extremamente econômico (embora não custe barato). Como desvantagem, apresenta apenas relatos de pequenos acidentes nos primeiros dias mas, dizem as usuárias, como tudo na vida, é questão de prática. Para as curiosas, as engajadas ou intrigadas em geral, o copo menstrual é vendido em farmácias de produtos naturais europeias e, no Brasil, podem ser encomendadas pelo correio. Estão ainda disponíveis em diversas marcas como o DivaCup, FemmeCup e Keeper."

Vou ali meter o gato na sacola e já venho!!
Senhoras e meninas comentem...


©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

sábado, 1 de novembro de 2008

Micorsoft dá dinheiro para encontrar adolescente

"Brandon Crisp está desaparecido desde dia 13 de Outubro

A Microsoft quer ajudar a encontrar o jovem canadiano de 15 anos que fugiu de casa depois dos pais lhe terem tirado a Xbox, uma consola da multinacional. A empresa oferece agora uma recompensa de 15 mil euros (25 mil dólares canadianos) a quem tiver informações sobre o paradeiro de Brandon Crisp. Estes 15 mil euros juntam-se a outros 15 mil que a família dá.

"Como toda a gente estamos preocupados com Brandon Crisp e queremos que volte depressa", disse a companhia num e-mail enviado, anteontem, à agência de notícias AFP.
No dia 13 de Outubro, o feriado da Acção de Graças canadiano, Brandon Crisp agarrou na bicicleta e saiu de casa, nos arredores de Ontario, em sinal de protesto por ser proibido de jogar Xbox. Aos jornais locais, o pai do jovem, Steve Crisp, disse que Brandon mudou de comportamento quando começou a jogar "Call of Duty 4: Modern Warfare" online. Segundo o pai, o adolescente começou a faltar às aulas, a roubar dinheiro e a deixar de se preocupar com os estudos.

A bicicleta apareceu a semana passada, com um pneu furado, mas de Brandon nem sinal."


Pergunta da Lenda: A quem devemos dar com o gato morto?

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

Felis catus

Não se sabe ao certo quando os gatos passaram a ser domesticados. Foram encontrados vários registos no Egipto, como pinturas, estátuas e desenhos de gatos, mas não há provas de que não eram animais selvagens. O que se sabe, devido a peças encontradas em escavações, é que no Egipto o gato era venerado e considerado sagrado. A deusa Bastet (Bast ou Fastet), deusa da fertilidade e da felicidade, benfeitora e protetora do homem, era representada como uma mulher com cabeça de gato e vários gatos estavam relacionados a ela, como seus animais. Na Pérsia, acredita-se que quando se maltrata um gato preto corre-se o risco de estar maltratando o espírito nascido ao mesmo tempo que o homem, para lhe fazer companhia e, assim, de prejudicar-se a si mesmo.
Provavelmente, quando as pessoas começaram a dedicar-se à agricultura, os gatos vieram a fazer parte da vida delas. Por ser um caçador, eles tinham a função de acabar com os ratos, que invadiam os lugares onde eram armazenadas as comidas.
Como animal de companhia, é um dos mascotes mais populares em todo o mundo. Devido ao facto da sua domesticação ser relativamente recente, eles podem viver em ambientes silvestres formando pequenas colônias. A associação do gato com os homens faz com que ele seja referido frequentemente em mitologias e em lendas de diferentes culturas, incluindo a as civilizações egípcia, japonesa, chinesa e escandinava.

O gato doméstico foi denominado Felis catus por Carolus Linnaeus na sua obra Systema Naturae, de 1798. Johann Christian Daniel von Schreber chamou de Felis silvestris o gato selvagem em 1775. É considerado, actualmente, uma das sub-espécies do gato selvagem; pelas estritas regras de prioridade do Código Internacional de Nomenclatura Zoológica, o nome das espécies deveria ser F. catus desde a primeira publicação de Linnaeus.
No entanto, na prática, a maioria dos biólogos utilizam F. silvestris para as espécies selvagens e F. catus somente para as formas domesticadas.

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!

A Lenda do Gato Morto

Era uma vez um gato, que não o das botas, que ao atravessar uma estrada morreu atropelado por uma carroça!
Não dissertemos sobre as prováveis 9 vidas do animal! (se calhar já tinha gasto 8 que a vida não era nada fácil noutros tempos passados.)
Miríapedes, uma velha da aldeia, amante de toda a seriedade viva, doméstica, domesticada, quase domesticada, por domesticar ou mesmo selvagem, não conteve o desgosto de ver tal bichano, que não o das botas, esmagado pela espinha com o rodado da carroça do Almundo Lopes!
Aquele carroceiro d'um raio nem deu recado de ter comprimido o felino entre a roda de pau e o caminho de terra (quase batida), apesar do grito silvante, ensurdecedor pelo eco da rua deserta da madrugada, do, agora,achatado (e morto) bichano.
Miríapedes estabeleceu, então, que haveria de conservar tal bichano achatado que nem uma tábua de pinho e, sempre que lhe fosse permitido, procuraria uma pista para achar o caminho da justiça. Como?
A esbelta rapariga (não fosse a verruga oculta pelo buço ralo entre o nariz altivo e a mandíbula superior torneada por lábio grosso) engendrou tal plano tão bem engendrado que depressa o tratou de colocar descrito em laje de xisto, escondida, depois, debaixo de sua cama!
Eis o que relatava a laje, em frases curtas (mas concisas, digo eu!):
"pegarei em pobre e morto animal e, em busca da verdade justiçal do acontecimento, baterei com ele em que se atrever a desafiar a justiça da vida justa. quanto mais tempo demorar o bichano a miar mais injusto é o acontecimento e aquele ou aqueles que o provocaram. tal gato morto será a minha tábua da justiça. Miríapedes Almeida Cortes."
Miríapedes acrescentou do outro lado da laje que Almundo Lopes caçado em noite de bebedeira monstra levou com o bichano morto e que este não miou. Concluiu ela, portanto, que Almundo Lopes nada fez para impedir a morte do pobre animal.

©PetehuntToons

Saudações felinas!
Até que o gato mie!